vapor

Deuses não morrem, apenas hibernam. O ritmo monótono dos descaroçadores de algodão, trens a vapor e monitores de cristal líquido é anáte-mantra para os espíritos, que dormem embalados por tal tédio. Graças à Roland, Korg e Yamaha, as máquinas finalmente começaram a se entender com as ninfas e plêiades.
Psiu. Dance nas pontas dos pés. As máquinas-elfo de ayahuasca estão dormindo. Em meia-hora vão acordar e povoarão de vez as vastas planícies da terra sonhada por Marinetti.

Cena do anime Records of Lodoss War.

Posted in Nano-Contos.

Alex Mandarino

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *