Para o alto e avante

Weasel Coffee

http://www.edible.com/htmlsite/prod_list.asp?prodID=232&catID=2

Iguaria cultivada apenas no interior do Vietnã. Os grãos de café são
comidos por doninhas selvagens que invadem as plantações. Elas não
conseguem engolir os grãos e os vomitam. Como os sucos digestivos das
doninhas contêm restos de cerejas, o sabor dos grãos é alterado
drasticamente. Os grãos são recolhidos pelos fazendeiros e
comercializados como o sensacional Weasel Coffee!

Bom dia, Tempo

E

O ABC News disse esta semana que o uso de ecstasy é o tipo de fenômeno que “só acontece uma vez a cada 50 anos”. E garante que o crescimento do número de usuários se deve à espantosa e maciça propaganda positiva boca-a-boca”.
O canal de TV baseou isso tudo em opiniões de inúmeros especialistas, incluindo Robert MacCoun, analista de políticas para drogas da Universidade da California, que disse que muitos usuários demonstram um “fervor evangélico” a respeito do E:

“Eu nunca ouvi ninguém dizer que a metanfetamina tivesse melhorado a sua vida. Conheço pessoas que usam cocaína, mas nunca ouvi nenhuma delas dizer que a cocaína era boa para elas. Mas com o MDMA é diferente. Várias pessoas acham que o ecstasy melhorou – e muito – a vida delas.”

A ABC também questionou as tentativas do governo americano de ligar o ecstasy a danos cerebrais (“se isso é verdade, ainda não foi provado”, disse) e previu que o E vai continuar sendo a “principal droga por pelo menos uma geração.”

Eu, pessoalmente, não só aprovo como recomendo. Desde que seguindo o caminho budista do meio, claro.

Sem falar que tem o magnífico Trashlog: um cara escaneia e posta o lixo semanal dele no blog, aqui.

ECSTASY, ECSTANON

Alexander Shulgin, o pai do ecstasy, garante que vai continuar
criando drogas, apesar das pressões do governo. Ele já criou mais de 100
drogas recreativas diferentes, entre elas o ecstasy, e garante: “Todas
as drogas que eu criei, todas elas, são perfeitamente legais.”

http://mdma.net/alexander-shulgin/

Tuesday, March 16, 2004 at 05:17 PM

Neste momento, em Chinatown, Honolulu, Havaí:

Image hosted by Photobucket.com

Ops

Quando as coisas dão realmente erradas:

A Nova Ibiza?

Enquanto a ilha de Ibiza é ameaçada por terroristas bascos do ETA, parece que a Arábia Saudita está disposta a se transformar no novo paraíso de veraneio. O país anunciou essa semana que está abrindo as portas de seu reino a turistas ainda nesse mês de março, oferecendo vistos de turista para visitantes selecionados.

As autoridades árabes esperam que esta política crie mais de 2 milhões de empregos, de acordo com o jornal The Guardian. Mas os costumes locais podem pôr tudo a perder. “O sol e a areia estão garantidos, mas clubbers devem pensar duas vezes antes de ficar nus na praia ou fazer sexo debaixo das palmeiras”, avisa o jornal inglês. “E aqueles que gostam de maconha ou E correm o risco de ter suas cabeças decepadas”.

Exagero? Talvez não. O site do novo Departamento de Turismo da Arábia Saudita chama a atenção para que visitantes pensem duas vezes antes de agendar uma viagem, indicando que “pessoas que não seguirem as tradições sauditas em relação à aparência e comportamento”, “pessoas sob a influência de álcool” e “pessoas de origem judaica” terão seus vistos recusados.

Turistas do sexo feminino também terão restrições: não poderão dirigir, por exemplo, e terão que seguir regras estritas de como se vestir.

Bela “nova Ibiza”. Mas ao menos isso mmostra como a “ameaça terrorista” está nos olhos de quem vê. Espanhóis e bascos ameaçam Ibiza, enquanto árabes abrem suas portas (ainda que desta forma prosaica).

Easy Like Sunday Morning

“Nos EUA, estudantes parecem consumir muito mais maconha do que álcool. Entrar em um bar é muito mais difícil para os estudantes do que conseguir uma boa maconha”.

Lady Gabriella, prima do Príncipe Harry, da Família Real Britânica, mostrando que conhece bem a cultura junkie da Brown University, em Rhode Island.