July 06, 2017 at 09:33PM

Twitter virou uma muralha de ruído. Me lembra a bolsa de valores, onde todo mundo berra e ninguém se escuta. Uns 10 anos atrás ele era bem útil para fazer contatos com editores, tradutores, outros autores, autores estrangeiros, etc. Minha estreia como tradutor de romances (com Rei Rato, do China Miéville) se deve ao Twitter, que foi onde contatei a Ludimila Hashimoto, que me indicou para aquele trabalho.
Tenho a conta lá, mas há muitos anos está no automático, com tweets muito ocasionais. A cada tweet meu tenho a sensação de estar jogando uma moeda em um poço vazio. Estou pensando em fechar as portas ali, até já pedi o arquivo dos meus tweets para eles. Me parece um site inútil hoje em dia, uma parede de entropia. Vocês ainda estão lá? Acham útil ainda?

July 05, 2017 at 11:59PM

Série mais absurdamente engraçada do ano até agora: Twin Peaks.
Série mais terrivelmente assustadora do ano até agora: Twin Peaks.
Tem que ser muito bom pra fazer isso, seu David Lynch.

July 05, 2017 at 05:49PM

Com algumas pessoas não basta você sempre tê-las tratado bem; não basta ser sempre educado com elas, tentar ser gente boa, etc. Elas meio que param de falar direito com vo~ê assim que encontram um item de dissenso, por mínimo que seja. ” Ih, ele não gosta de young adult” ou “Nossa, ele detesta coleções de bonequinhos”. Se você se posiciona contra, sei lá, a censura de livros, acha ridículo que peguem em armas pelo que aconteceu com Sansa em Game of Thrones enquanto mulheres reais são mortas a cada minuto, ousa duvidar da idoneidade do Diário do Meio da Rola ou coisa assim, então, danou-se. Não olha mais pra sua cara. Sinceramente, gente: grow the fuck up. O mundo é feito de dissenso, de discordância e se vocês querem fazer parte de grupinhos de “n’os vs eles” formem um grupo de paintabll, vão disputar um deathmatch de Quake, jogar vôlei ou queimada. A vida é feita de diálogo, não de forçar o outro a concordar com você na base do berro.

July 05, 2017 at 02:40AM

Forget every rule Syd Field, Robert McKee or any other screenwriting guru ever taught you. Except one: Never be boring.
DAVID MAMET

July 04, 2017 at 08:34PM

Ray Monroe não avisou Bobn, no corpo de Dale Cooper, que o gatilho do revólver não funcionaria. Faltou um trigger warning.

July 04, 2017 at 05:28PM

Sério, que tipo de anarquista seria eu se fosse defender censura?

July 04, 2017 at 11:31AM

É um conceito perturbador, mas as pessoas podem ter opiniões diferentes da sua. E mais: podem mesmo ter pensamentos contrários aos seus. Esquisito, né? Mas acontece desde tempos imemoriais.

July 04, 2017 at 10:54AM

É triste ver como o choro do oprimido fertiliza o solo para novos opressões. É a Roda da Fortuna do mestre e do servo.

July 03, 2017 at 11:54PM

Não é uma questão de senso comum: é uma questão de bom senso. O senso comum quase nunca tem bom senso.

July 03, 2017 at 11:44PM

Narciso acha feio o que não é espelho. É uma ilusão achar que é possível uma visão “objetiva” de uma obra de arte, uma visão pré-relativismo e pré-estruturalismo. Se o editor, que em tese só tem critérios técnicos, literários e sociais (sim, ele já se preocupa com isso) já é uma figura muitas vezes problemática, imagina uma pessoa com uma agenda pessoal maquiada de social, gregária e subjetiva? A noção de liberdade dessa galera é criar *mais um* gatekeeper? Mesmo?
Me mostre um grupo querendo dizer o que eu posso ou não ler/ver/escrever, não importa por qual motivo, e eu lhe mostro um grupo de religiosos.