Brazil

O Brasil tá se esforçando pra ficar parecido com o meio-oeste americano: conservador, babaca, overpowered e sem noção.

Acho que esse americanismo caipira tem aumentado, talvez por causa da TV a cabo. Tem muito mais gente imitando personagens de Sex and the City, as falas de Gilmore Girls, ou o comportamento de alguém do CSI, sei lá. Antes isso era meio restrito à Barra e a Alphaville, mas já é meio geral agora.

O comportamento dos nossos chefes, vizinhos, etc, tá totalmente Mr. Flanders. Uma mistura de neurose, babaquice, reacionarismo e ilusão de
que overpower e “bons costumes” são o mesmo que funcionalidade e democracia. A gente tá parecendo um Oklahoma do inferno.

Comportamentos bem americanos já são padrão por aqui: seus amigos somem quando vc tá mais na merda, desempregado, etc; seus amigos somem
quando vc tá meio rico, com grana pra se divertir, etc; só se pensa em trabalhar, trabalhar, sem nenhuma hora pra viver; não se pensa em
viver, aliás, só em trabalhar; o lazer é visto cada vez mais como coisa de vagabundo e algo nocivo e pernicioso; e tudo virou questão de
status: quanto vc ganha, o que vc faz, quem vc come, quem vc conhece, etc. Todos sinais de extremo wannabe america.

Tinham que imitar logo o pior, pô. Eu quero tirar uma sesta depois do almoço e ter tempo para viver, não só para trabalhar. Ir ao cinema, ir
a um museu, ler um livro, viajar de trem. Mas, diabos, adotamos as 3 principais culturas americanas: a cultura do trabalho protestante; a
cultura do status social e do marketing pessoal higher-than-thou; e a cultura do carro.

Na verdade, viver no Brasil tá foda.

Posted in Pessoal and tagged , .

Alex Mandarino

5 Comments

  1. Na Europa está havendo uma reação no sentido de um modo mais lento de viver.

    Trabalhar para viver e nào o contrário.Posted by Norrin Kurama at 10:27 Tuesday April 29, 2005

  2. Pois é, eu acho iso não só saudável, mas necessário mesmo. Se você não tem tempo de viver, mas vive para o trabalho, você não consegue se formar como um ser humano completo, você não vive em plenitude.Posted by Alexandre Mandarino(www) at 10:49 Tuesday April 29, 2005

  3. A classe dominante do futuro brasileiro tá xupando dos americanos em demasiado (e é das coisas mais breguíssimas e inferiores dos americanos ainda por cima…)

    WB, Mtv e Sony são canais que criarão um Brasil futuro preocupante. Globo da classe média alta contemporânea.

    O Brasil precisa de um pop próprio em seu próprio glamour em júbilo (e parar de ficar voltando ao berimbau ou xupá do exterior sem criar nada de novo a não ser a versão degenerada do importado). E digo pop, vocês entendem, o verdadeiro e bom pop… não alguma breguice de ‘quarentonas-donas-de-casa-dos-anos-50-que-incarnaram-o-corpo-das-adolescentes-de-hoje’ como “Friends” e tudo mais que vem com o pacote.

    Espero que as fronteiras se dissipem logo. Que o mundo se torne “ou Um Só ou X zilhões”.Posted by Finicius BR at 14:48 Tuesday April 29, 2005

  4. Cara, tá foda mesmo. Está ficando muito difícil viver por estas bandas. Mas acho que isso é pior aqui no Rio: sabe aquela besteira que diziam de SP, “sp é ótimo, o problema são os paulistas?” Pois é, a frase é bem mais adequada se trocarmos por “Rio” e “cariocas”. A tudo isso que você disse, acrescenta-se ainda a “cultura do se dar bem”: furar fila, empurrar no ônibus, ser estúpido, tentar enganar, se “ixperto”. E tudo isso para nada, para chegar a lugar nenhum um minuto antes. Um bando de mané fudido que não diz um ai quando tem que reclamar e fala grosso sem motivo.Passagem pra onde? :-)Posted by ll at 5:57 Tuesday May 12, 2005

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *