Bruce Jones

Mal acabou seu contrato de exclusividade com a Marvel, Bruce Jones partiu para um contrato semelhante com a DC. Sua fase de três anos (acho) no Hulk é simplesmente sensacional, repleta de suspense, tensão, tramas intrigantes e conspirações. Alguns leitores, claro, ficaram irritados pelo fato de Jones ter deixado o Hulk – relativamente – de lado e centrado forças em Bruce Banner, que tomou o centro do palco. Não entendo esta irritação, afinal Hulk e Banner SÃO o mesmo personagem.

Jones deverá escrever para a DC a nova versão do personagem Vigilante, escolha perfeitamente adequada ao estilo e sensibilidade do escritor. Certamente ele também irá colaborar com a editora Karen Berger para alguma coisa no selo Vertigo.

O que me deixa bobo é como o leitor americano médio é totalmente ignorante em relação à história dos seus quadrinhos. Vi em fóruns de Internet (esse habitat natural da idiotice) leitores reclamando que “a fase de Jones no Hulk não se parecia com nada que foi feito com o personagem em 39 anos de publicação”. Ué, pensei que isso fosse um elogio. E não pára aí: teve um monte de gente dizendo que um “novato” como Jones certamente merecia ter a chance de, talvez, escrever uma minissérie para a Vertigo ou algo assim, como teste.

Bruce Jones é um dos melhores escritores dos quadrinhos e está na área desde os anos 70. Passou pela clássica editora Warren (no Brasil, suas histórias eram publicadas na revista Kripta, da RGE), onde escreveu brilhantes contos de horrror, suspense e ficção científica. Escreveu e desenhou (ele também é um artista muito bom, de estilo clássico, quando as pessoas ainda se preocupavam com “bobagens” como anatomia, bom gosto e narrativa) graphic novels como Somerset Holmes e Arena, excelentes e perturbadoras. Finalmente, nos anos 80, escreveu uma sensacional série de aventuras e FC para a Marvel, Ka-Zar.

OK, ele passou os anos 90 (a pior década dos quadrinhos, tomada por lixos) escrevendo para cinema e TV, mas é de espantar a ignorância dos americanos em relação a esses caras. Mas, claro, Jones escreveu pouquíssimos quadrinhos de super-heróis (na verdade, nenhum, se lembrarmos que seu Ka-Zar era uma série de aventuras e seu Hulk uma série de mistério conspiratório) e figuras que não deixam suas marcas na legião de guerreiros homoeróticos de roupa colante – detesto a palavra “spandex” – ficam de fora dos sonhos molhados dos fanboys. Mas Jones é conhecido até mesmo pelos fãs brasileiros. Espantoso como os americanos, a cada dez anos, sofrem lavagens cerebrais e esquecem de tudo.

De qualquer forma, o que Jones fizer para a Vertigo certamente será sensacional. Bruce Jones é um dos poucos roteiristas veteranos ainda em atividade na área de quadrinhos (como “veterano” quero dizer dos anos 70 e 80) e, além de extremamente talentoso, é um perfeito cavalheiro. Completamente louco, mas com talento como ninguém para uma boa história de gênero fora do âmbito dos super-heróis. E isso é mais do que se pode dizer de 99,9% dos “escritores” atuais, que sequer imaginam como começar uma história onde não apareça o Homem-Aranha ou o Wolverine.

Posted in Quadrinhos.

Alex Mandarino

7 Comments

  1. Em alguns momentos ficou arrastada mesmo essa fase, mas gostei do Jones nas rédeas do Hulk. E ele tira um sarro legal com o tema conspiração.Posted by Massula at 21:16 Tuesday August 13, 2004

  2. O começo foi promissor, mas depois foi caindo a ponto de eu parar de ler.

    Muito, muito chato o Hulk dele.

    Mas a ida do Jones a DC promete ser legal.Posted by Pablo Casado(www) at 23:45 Tuesday August 13, 2004

  3. Pois é, eu li só o primeiro ano do Hulk dele e achei bem legal. Mas muita, muita gente reclama da lentidão do que veio depois. O Jones costuma ser lento na medida, não tanto assim, Se ele deixou desandar, imagino que tenha ficado chato mesmo.

    Só espero que não dêem o Hulk pro Peter David. Gosto dele, mas ele já ficou 10 anos na revista. Podiam dar pro Peter Milligan (ou pro Ennis, imagina que esquisitice) ; )Posted by Alex de Jarem(www) at 3:35 Wednesday August 14, 2004

  4. É, nada de Peter David de novo.

    O Milligan seria interessante. Mas o Ennis não. Ele escreveu uma história podre do Hulk já.

    Eu gostaria de ver o Azzarello. Achei Banner legal. Nada sensacional, mas ele trabalhou bem o conceito do personagem.Posted by Pablo Casado(www) at 22:05 Wednesday August 14, 2004

  5. Realmente, não sei onde eu tava com a cabeça ontem. Ennis e Hulk não têm nada a ver! ; )

    Gosto do nAzzarello, mas não li o Banner. É legal mesmo? Além do Milligan, outra boa opção seria o Brian Vaughan.Posted by Alex de Jarem(www) at 1:34 Wednesday August 15, 2004

  6. É eficiente e legal. Nada sensacional.

    Hm, Brian Vaughan? Não vou muito com a cara dele quando o assunto é super-heróis. E falando nele, ontem eu estava no Mile High Comics e dei uma olhada no preview da Ultimate X-Men #50, escrita por ele.

    Foi uma das coisas mais chatas que li ultimamente.

    Dele, eu quero mesmo é EX-Machina, da Wildstorm.Posted by Pablo Casado(www) at 9:09 Thursday August 15, 2004

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *