Quadrinhos da Semana (29/09) – Parte 2

AMAZING SPIDER-MAN 512
Marvel

Texto: J. Michael Straczynsky
Desenhos: Mike Deodato Jr.
Aqui a porca torce feiamente o rabo. Na verdade, a porca arranca o rabo e faz um scratch com ele. Straczynsky (daqui para a frente, JMS) vinha mantendo um nível bastante razoável no Homem-Aranha. O conceito das primeiras histórias dele no título, que mostravam um certo Ezekiel contando a Peter Parker que ele na verdade era o mais recente em uma linhagem de “tótens-aranha” ou algo assim, não era exatamente original e cheiravam a um Monstro do Pântano requentado. Mas eram histórias competentes, intrigantes e divertidas (apesar da total incapacidade de JMS de fazer o Aranha falar qualquqer coisa minimamente parecida com uma piada, o que no caso deste personagem em especial é algo grave). Mas, ainda assim, JMS vinha em um nível bastante razoável e algumas vezes acertava em cheio.

Mas, aqui, ele… Olha, é tão ruim este arco que ele se encaixa no mesmo patamar que A Saga do Clone. Sim, é ruim desta forma. Atenção, olha o spoiler: nas edições passadas, Peter Parker vinha sendo atacado por um casal de gêmeos. A menina lembrava a Gwen Stacy. Bom, na edição anterior, foi revelado que eles eram realmente filhos de Gwen Stacy. O que já é ruim por vários motivos, entre eles pelo fato de que os tais gêmeos eram obviamente pouco mais novos do que Peter Parker (portanto, teriam a idade aparente que Gwen teria se estivesse viva, o que, digamos, meio que inviabliza a paternidade dos dois vilões).

Nesta edição 512, é revelado que os dois manés são filhos de Gwen, sim, mas não de Parker: os gêmeos são um efeito colateral de uma pequena “escorregada” que Gwen teria dado com… Norman Osborn. Sim, esse é o nível da coisa toda. Enfim, JMS mexe em um ninho de vespas capaz de fazer par a Ben Reilly. Gêmeos vilões filhos de Gwen Stacy com Norman Osborn. Além do óbvio mal gosto da idéia, as incongruências em termos de continuidade são várias: a trama dá a entender que Peter jamais teria feito sexo com Gwen, o que é uma noção cretina. Gwen, em flashbacks, justifica a escorregada através do suposto “magnetismo” de Norman Osborn. Mary Jane sabia da coisa toda desde a época, anos atrás, e nunca contou nada para Peter sobre Gwen ou o casal de gêmeos. Enfim, uma idéia totalmente desnecessária e de péssimas consequências.

Uma pena que JMS tenha caído ao nível das coisas horrendas que foram feitas nos últimos anos com o Homem-Aranha: a Saga do Clone, a ridícula nova origem criada por John Byrne, a horrenda fase de Byrne e Mackie, a inócua série escrita por Paul Jenkins. Mas a escorregada criativa e editorial aqui é tão grande que chega a empurrar o Homem-Aranha para um limbo criativo, com o personagem implorando por um retcon. A revista só não leva um zero devido aos desenhos competentes de Mike Deodato, que está em muito melhor forma atualmente do que quando caía na esparrela de imitar a Image. Uma pena que ele esteja em boa fase justamente neste momento horrendo da revista. Tudo leva a crer que daqui para a frente será só ladeira abaixo para a Amazing Spider-Man, que com essa edição merece a nota
(0,5 / 10) Fuja Dessa Merda

DAREDEVIL 65
Marvel Knights

Texto: Brian Michael Bendis
Desenhos: Michael Golden, Greg Horn, P. Craig Russell, Phil Hester e Chris Bachalo
Edição comemorativa dos 40 anos do Demolidor, com o dobro do número de páginas. A história se passa alguns meses atrás, quando DD havia acabado de se tornar o novo “Kingpin” (Murdock destronou o Rei do Crime e tomou seu lugar, mas numa tentativa de impedir abertamente o crime em Nova York, na base da porrada). Aqui, Bendis aproveita a edição especial para mostrar a reação de alguns heróis do universo Marvel a essa decisão do Demolidor. Curiosamente, a maioria deles condena a decisão, apesar de, no fim das contas, ela consistir basicamente de algo que todos fazem há anos: combater o crime e os vilões. Enfim, existe alguma questão polêmica aí que somente Bendis foi capaz de enxergar e não passou para o leitor.

Mas a verdade é que ele está aqui léguas acima do desastre que é sua atual fase em Avengers. Os momentos finais, com a participação do Dr. Estranho, são bem escritos e a história flui de forma surpreendentemente mais ágil que o normal do escritor. A exceção são as páginas HORRENDAS desenhadas por Greg Horn, o capista pornô da Marvel. As quatro páginas são um suplício, tanto pela arte cafona de Horn como pelos recordatórios de Bendis, que claramente encheu linguiça só para que aquelas páginas pudessem ser incluídas na edição. Pelo menos isso é equilibrado pelos ótimos desenhos de P. Craig Russell e, principalmente, Michael Golden, que surpreende nas páginas iniciais da história com um traço mais realista que o seu estilo tradicional. De qualquer forma, esta edição comemorativa é um bom descanso para quem não aguenta mais a arte “xerox colorida numa galeria do Village” de Alex Maleev, infelizmente ainda o artista fixo da revista.

Os 40 anos do Demolidor pediam algo mais divertido e menos auto-consciente de suas supostas “qualidades”, mas ainda assim é uma edição bem razoável. Ironicamente, esta folga acaba servindo para mostrar que Bendis já ficou tempo DEMAIS nesta revista. Bendis escrevendo o DD é como aquele seu amigo que é simpático e bem intencionado, mas leeeeeento e chato. Bom, melhor que Bendis escrevendo os Vingadores, que é como aquele seu amigo que na verdade é um escroto (e talvez nem seja bem-intencionado).
Tá, é Bacana (6 / 10)

Posted in Quadrinhos and tagged .

Alex Mandarino

3 Comments

  1. Pelo que você contou eu não daia nem meio ponto pressa do Aranha.

    Quando você pensa que não dá pra piorar…Posted by Anônimo Veneziano at 9:41 Wednesday November 6, 2004

  2. Me pegou desprevenido essa história. Eu não tava acreditando que a “origem” dos gêmeos seria mesmo essa, mas infelizmente acabou sendo isso mesmo. Péssima, péssima idéia. Não agrada nem aos leitores antigos (eu detesto quando mudam e reescrevem o que já foi mostrado) nem aos leitores novos (que vão ficar meio boiando).Posted by Alexandre Mandarino at 18:39 Thursday November 7, 2004

  3. A Marvel tá voltando aos piores momentos da décad de 90: uma enxurrada de títulos dispensáveis, fazendo merda com seus melhores personagens (Homem-aranha e Vingadores, nesse caso). Todos lembram qual foi o fim dessa história…Posted by Rafael “Lupo” at 15:05 Saturday November 9, 2004

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *