yes logo

A violência logotipada da Yakuza é mais ou menos escrota que a impermanência eterna do “M” amarelo do McDonald`s? A resposta está ali, na sua mesa de escrivaninha. Abra a gaveta e saque suas armas porque eles já estão batendo na porta. Com a Mauser e a Uzi nas mãos, você ainda espia uma última vez pelo olho mágico. Yeah, yo, cinco japas de terno, óculos escuros e bigodinhos fininhos fazendo caras de samurai. Você corre pela porta dos fundos e sente o sereno bater na sua cara. A lua te encara lá do alto e diz “tá fudido, corre”, enquanto os japas dão a volta e te pegam em pleno ato ridículo de pular o muro dos fundos da sua própria casa. Seus pés tentam conversar sobre a altura da queda, mas você não os escuta. Corre até o Lamborghini na esquina, quebra o vidro e reza para que uma ligação direta seja mais rápida do que o solado de borracha dos sapatos italianos dos japas sobre o asfalto rugoso de Hiroshima Street. Ele liga e então, yo, lá está você: olhos escaneando o vidro da frente, tentando desviar das imagens-borrões; os japas atirando com suas automáticas, despejando avatares de chumbo no seu campo de visão. O Lamborghini se lamenta pelas ruas, enquanto você sabe que, mesmo que escape detses japas, jamais vai escapar do verdadeiro inimigo. O nêmesis de tinta que pesa como um macaco nas costas, como o desespero das madrugadas sem vodka. Você quase sente ele ali, rindo; seu hálito quente sussurrando “tá fudido, cara; você escapa da lua, mas de mim você não escapa”. Você pode escapar dos japas, mas nunca vai escapar do que eles querem: o dragão gigante tatuado nas suas costas. Antes de engatar a quinta e virar à direita num absurdo ângulo de -90 graus, você pensa em quanta heroína terá de vender para pagar uma cirurgia de remoção a laser.

Mas não adianta descascar e descolorir o dragão. “No logo”? Hmpf. Tudo tem logo. Se até a Yakuza tem seu logo, você precisa de um também – e que melhor logo que o dragão? Você ainda vai morrer por causa dele, mas todo bom logo é assim.

Posted in Nano-Contos.

Alex Mandarino

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *