spin

Alice no País dos Scratches.

Cansada, Alice levanta-se e sai da sombra da macieira. É a hora de tentar a portinhola de madeira ao lado do tonel das mil coisas, aquela portinha que nunca foi aberta. Ela se aproxima, pé ante pé, e para diante da pequena porta de mogno. O ranger das dobradiças antevê o scratch generalizado. Para sua surpresa, lá estão uma Technics, um par de headphones e um walkman.

O que Alice escuta?

E, mais importante:

Para que lado o vinil gira do outro lado do espelho?

Posted in Nano-Contos.

Alex Mandarino

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *