A noite do Rio está mesmo em seus estertores, como um zumbi de filme mexicano. Um evento riponga no Armazém 5 do Cais do Porto, há alguns dias, com gente jogando quilos e quilos de farinha do mezzanino do armazém e fazendo esculturas de gelo no chão, mereceu capa do Segundo Caderno do Globo, sob o título “Delicioso Caos”. É, em faculdade de jornalismo não ensinam nem o que é caos, quanto mais estética.

Posted in Pessoal and tagged , .

Alex Mandarino

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *