“O grito de Pat O’Rourke chegou até a floresta. Atravessou os postigos de madeira, a vidraça, o campo aberto e atingiu os galhos, troncos e corujas como o agouro de uma banshee. Assim que emergiu do sonho e arregalou os olhos, a primeira coisa que viu foram as quatro formas ovaladas luminosas do relógio digital sobre a escrivaninha de madeira: 00:00. Pôs os pés sobre o tapete ao lado da cama e tateou em busca de seus chinelos. Quando ficou de pé, a coisa parecia clara em sua mente. Alguém foi morto naquele minuto.”
Trecho de Guerras do Tarot, de Alex Mandarino. Em breve pela AVEC Editora.

Posted in Literatura and tagged .

Alex Mandarino

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *